DEVEMOS ACREDITAR NO NOSSO POTENCIAL

DEVEMOS ACREDITAR NO NOSSO POTENCIAL
SOMOS GRANDES!

domingo, 3 de fevereiro de 2013

A INFLUÊNCIA DA INTERNET NA ESCRITA DOS JOVENS




A INFLUÊNCIA DA INTERNET NA ESCRITA DOS JOVENS

De: Carlos Delano R. Pinheiro

Vc tbm escrevendo assim? Na sua Kasa alguém escreve mta coisas desse tipo? Naum se espante, é a linguagem da Internet que vem confundindo a cabeça dos jovens brasileiros.
Desde que a Internet adentrou os lares brasileiros e permitiu, através de lan houses, que os jovens brasileiros pudessem ter acesso a tudo que poderia permitir, pôde-se perceber que houve uma verdadeira epidemia de palavras e expressões, das mais absurdas possíveis, no nosso vocabulário.
Tendo como grandes responsáveis o Facebook (site de relacionamento da Internet) e bate-papos virtuais como o MSN, que já está obsoleto, notamos que o jovem brasileiro vem se contaminando com expressões nada convencionais as normas e regras da gramática brasileira, justificadas pela maioria deles, tanto pela pressa em digitar, quanto pela linguagem moderna dos internáutas. Apesar das justificativas, essa linguagem vem trazendo consequências gravíssimas para a aprendizagem da língua portuguesa.
Educadores e estudiosos da língua portuguesa vêm chamando a atenção dos jovens estudantes para os péssimos resultados das provas de redação, principalmente nos vestibulares, em todo o país. Verifica-se, com muita frequência, o emprego de expressões sintaticamente incorretas para os olhos de quem tanto admira a língua portuguesa, porém, semanticamente corretas para àqueles que sequer se preocupam com a norma. Também por tbm, casa por kasa, muito por mto e ficar por fikar são algumas palavras, dentre inúmeras que povoam o vocabulário dos internáutas brasileiros, que vêm tirando pontos preciosos na hora da correção das provas.
Muitos jovens estudantes, contrariando o que dizem os estudiosos, defendem-se dizendo que na hora do “vamos ver” não misturam as coisas, por terem capacidade de discernir sobre o que se deve ou não usar na produção de textos. Porém, os resultados mostram o contrário, tanto quanto os estudos voltados para aprendizagem do adolescente.
Portanto, tenhamos cuidado com o uso das palavras e com o seu correto entendimento, pela força e a representatividade que têm na hora que são colocadas entre linhas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário