sábado, 19 de novembro de 2016

AULAS DE PORTUGUÊS E REDAÇÃO

CHEGANDO O FINAL DO ANO E VEM AQUELA PREOCUPAÇÃO SE O FILHO IRÁ OU NÃO PARA RECUPERAÇÃO.

QUER EVITAR? JÁ TEM A CERTEZA QUE IRÁ?

CONTATE-NOS!

AULAS DE PORTUGUÊS E REDAÇÃO (LOCAL E EM DOMICÍLIO).


REVISÃO DE TEXTOS: PROCURE-NOS!



Por favor, peço por gentileza que divulguem com quem tiver interesse, pois sei que muitos têm dificuldade de encontrar algum profissional que faça a revisão de TCCs. Faço somente revisão ortográfica e gramatical, com declaração expedida, com todas as alterações destacadas.
 Sou de Fortaleza, mas não há necessidade de deslocamento. Documento enviado por e-mail, em Word, devolvendo da mesma forma. Declaração assinada e digitalizada, enviada também por e-mail. Depósito em conta.
 
Agradeço!

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

CANTIGA DE MALDIZER


NÃO ERRE MAIS

EM VIAS DE / EM VIA DE
Forma incorreta: Estou em vias de finalizar o projeto.
Forma correta: Estou em via de finalizar o projeto.

Explicação: A locução é “em via de” e significa “a caminho de”, “prestes a”.

LINDA CANÇÃO!


EXPRESSÃO DE CEARENSE

A cada dia uma expressão típica de cearense. A de hoje é...




PITÉU
Mulher jovem e bonita, Coisa boa. “Este caldo tá só o pitéu”.

AO CORAÇÃO QUE SOFRE

Olavo Bilac

Ao coração que sofre, separado
Do teu, no exílio em que a chorar me vejo,
Não basta o afeto simples e sagrado
Com que das desventuras me protejo.

Não me basta saber que sou amado,
Nem só desejo o teu amor: desejo
Ter nos braços teu corpo delicado,
Ter na boca a doçura de teu beijo.

E as justas ambições que me consomem
Não me envergonham: pois maior baixeza
Não há que a terra pelo céu trocar;

E mais eleva o coração de um homem
Ser de homem sempre e, na maior pureza,
Ficar na terra e humanamente amar.

REFLITA


NORUEGA


HIPOCRISIA TOTAL

Agora, nas redes sociais, diversas pessoas criticando e com frases criativas, bem menos autorais, sobre a prisão de Sergio Cabral.
Para mim nem é novidade ver politico a cada dia sendo acusado e preso por corrupção, tampouco ver alguém que critica e acusa, como se fosse o mais honesto dos honesto do reino da honestidade, mostrar ser da mesma laia na primeira oportunidade que surgir.

A PODA

Seus galhos crescem desordenadamente, invadindo espaços de outras árvores e, quando vem a tempestade, ela é a primeira a tombar, porque seu crescimento desordenado a enfraqueceu.
Quando a árvore é sempre podada, seus galhos crescem ordenadamente, ela se mantém em seu espaço; o corte dos galhos torna-a forte e robusta e, quando vem a tempestade, ela está preparada para resistir.
CONOSCO É ASSIM TAMBÉM.
Se não somos podados, não aprendemos a respeitar o limite e a liberdade do outro, considerando-nos os donos da verdade.
Ficamos despreparados para a vida e, quando vêm as dificuldades, o sofrimento, não resistimos e tombamos como a árvore, tornando-nos depressivos, egoístas, tristes, revoltados ou até mesmo doentes.
Sempre que você estiver diante de uma situação de sofrimento, perda, decepção, não se desespere:
SÃO PODAS QUE IRÃO FORTALECÊ-LO.

DICA DE PORTUGUÊS


DRIBLANDO A CRISE COM O MARKETING PESSOAL



por Carlos Delano Rebouças

Em um cenário de crise que assola o País, resultando em milhões de desempregados e na queda das atividades daqueles que trabalham autonomamente ou na informalidade, cuidar da imagem parece que se tornou o único caminho para manter-se vivo, ao aguardo de novas oportunidades.

Antes, quando não existiam internet e seus recursos de interação por meio das redes sócias diversas, havia, somente, poucas possibilidades de propagação de nossa imagem no mercado, como uma alternativa para dizer: “Eis-me aqui, como meus conhecimentos e minhas habilidades, pronto para ser absorvido pelo mercado”. Os caminhos eram restritos aos classificados de jornais, cartões de visita e panfletos, bem como aos currículos e ao chamado “boca a boca”.

Hoje, aliás, de alguns anos para cá, surgiu a internet. Com ela, diversos recursos a cada dia são desenvolvidos para que possamos evidenciar a nossa imagem. Por e-mail, mantemos contatos com pessoas, enviado mensagens que permitem interpretações mediante a sua leitura, quando esta obviamente é feita. Muitas vezes são delatados numa simples análise do assunto.

Outros recursos cibernéticos são as redes sócias. Estes, bem mais fecundos em seus resultados pelo alcance nas mais diferentes classes sócias, embora possam também, quando mal utilizadas, ser um instrumento destrutivo imagético, de poderio fulminante, capaz de não permitir uma nova e verdadeira concepção de uma reputação na sociedade.

Saber usar as redes sociais como um recurso para fortalecer uma imagem, ou seja, para difundir positivamente uma reputação na sociedade, pode ser visto por muitos como um fator primordial no atual cenário corporativo, seja na condição de ativo no mercado de trabalho, seja na condição, principalmente, de postulante ao seu retorno. É realizar uma atividade contínua e sistemática de evidenciar o seu lado profissional, em paralelo ao pessoal, pois um complementa e compromete o outro, numa divulgação sábia e inteligente de tudo que nos envolvem, por meio de relatos, registros de momentos, opiniões e, até mesmo, pelas pessoas que fazem parte do nosso convívio social. É, em muitos momentos, sorrir, mesmo que se tenha vontade de chorar.

A estratégia do sorriso nas redes sócias, sobretudo, quando acompanhado de textos e imagens complementares ao que deseja perpetuar pode funcionar positivamente na otimização da sua imagem no mercado. Nem todo mundo sabe da sua realidade, e, dessa forma, tem a oportunidade de vender seu produto principal, que se chama você, de forma alegre e descontraída, construindo ou mesmo reconstruindo a imagem de uma pessoa feliz, contente e realizada com o que vem fazendo, embora a realidade seja bem diferente. Isso é o que muitos fazem, é verdade, mas não podemos definir como uma atitude desonesta que permite enganar e enganar-se. Bem longe disso.

Há que diga que ninguém precisa saber o que realmente passamos, quanto mais, milhares delas por meio das redes sociais. Embora existam esforços de muitos, que pode até parecer um marketing pessoal por vias contrárias e questionáveis, para que seus momentos delicados sejam de conhecimento público, por acharem que somente assim poderá surgir alguém que lhe estenda a mão. São atitudes ora pensadas, ora desesperadoras, que alguma consequência terá, pois tudo que planta colhe, mesmo que seja nada.

Independentemente de nossas intenções, e, enquanto a crise que insiste em permanecer viva na nossa economia não anuncia o seu fim, continuemos a fortalecer a também fragilizada imagem que possuímos no momento, usando, ponderadamente, as redes sociais como o mais importante recursos de marketing pessoal, na certeza de que novos ares, logo, respiraremos, ensaiando o discurso de que vencemos mais uma batalha de sobrevivência.

LINDA INTERPRETAÇÃO!


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

PENSAMENTO DO DIA

"Seja como os pássaros que, ao pousarem um instante sobre ramos muito leves, sentem-nos ceder, mas cantam! Eles sabem que possuem asas."
Victor Hugo

EXCELENTE VÍDEO


A VIDA


UM SUJEITO SEM PREDICADO

Definir alguém nos leva a buscar, a encontrar predicativos suficientes para este fim. Porém, muitas vezes, não conseguimos encontrar ou enxergar condições para tornar esse predicado nominal.
Ser e estar são nossas condições, seja na vida ou no mercado de trabalho; ora sozinho ou em grupo, não importa, desde que esse sujeito, simples, consiga se postar adequadamente ao se tornar composto, numa convivência saudável na contextualização da vida, que possa permitir a sua predicação.
Morfologicamente, os adjetivos existem para qualificar ou caracterizar um substantivo, mas, dentro da Sintaxe, na sua análise, corrobora com o sujeito, qualificando-o, conferindo-lhe atributos que identifiquem seu estado ou sua qualidade.
Assim somos nós – pessoas comuns, cidadãos, trabalhadores – que precisamos, aliás, necessitamos, absolutamente, de inúmeras predicações durante toda a nossa trajetória de vida, pessoal e profissional, para não fazer com que a nossa passagem pela terra seja oração sem sujeito ou um sujeito indeterminado, diante da falta de tantas condições de adjetivação sobre as nossas atitudes.
As nossas atitudes e a nossa postura no mundo permitem que sejamos sempre avaliados. Postar-se adequadamente sob os preceitos que regem a sociedade é conveniente para o nosso período seja longo, coeso e coerente, sem erros, bem trabalhado, de fácil leitura e compreensão, acessível a muitos, apreciado por poucos, pode ser, e que não faltem adjetivos para torná-lo rico em predicados, valorizando um sujeito que pode até ter nascido simples, porém, jamais oculto.
Assim é a Sintaxe da vida, amigos, que se constrói com as mais diferentes classes, não gramaticais, e sim, sociais, que às vezes peca numa perfeita e justa análise de um sujeito, deixando-o sem predicação, quando muitas vezes não lhe faltam qualidades.

PORTUGAL VISTO DO CÉU


DICA DE PORTUGUÊS


O que é a Síndrome de Tourette?


É uma síndrome em que aparecem tanto tiques motores como vocais, não necessariamente ao mesmo tempo. Os tiques geralmente aparecem por volta dos sete anos, variando dos 2 aos 15 anos. Em geral, apresentam-se na forma de tiques motores simples, como piscadelas dos olhos. O início das vocalizações ocorre posteriormente ao dos tiques motores, na idade média de 11 anos, frequentemente na forma de pigarro, fungadelas, tosse, exclamações coloquiais entre outras. Em alguns casos os tiques vocais são os primeiros sintomas a surgir. A coprolalia, emissão involuntária de palavras obscenas (palavrões) é encontrada em menos de um terço dos casos. Talvez haja alguma influência cultural, já que é encontrada seis vezes mais na Dinamarca do que no Japão. A copropraxia (gestos obscenos involuntários) é encontrada entre 1 e 21% dos casos. A ecolalia (repetir palavras ouvidas) e ecopraxia (repetir gestos vistos) e a palilalia (repetir as próprias palavras) são encontradas em menos da metade dos casos. Estima-se que um terço dos pacientes apresente remissão completa ao final da adolescência, outro apresente melhora dos tiques e o restante continue sintomático durante a vida adulta. Remissões espontâneas foram relatadas em 3 a 5% dos casos.
A intensidade dos tiques é variável, desde quase imperceptíveis, como um leve levantar de ombros, até tiques aparatosos como saltos ou fortes latidos. As vezes são “camuflados” em atitudes corriqueiras como por exemplo, afastar o cabelo do rosto, ajeitar a roupa e são reconhecidos pelo seu caráter repetitivo. Após a instalação do quadro, os sintomas passam a apresentar flutuação na intensidade, principalmente na adolescência. Uma série de comportamentos se associam à ST, como o hiperativo, o automutilatório, distúrbios de conduta e de aprendizado, além dos sintomas obsessivo compulsivos (SOC). Alguns autores observaram que mais de 40% dos pacientes com a ST apresentavam TOC. Aproximadamente 90% dos portadores da ST tem sintomas obsessivos.


O que causa a Síndrome?

A causa da ST permanece desconhecida. Sabemos da influência de fatores genéticos, neurobiológicos entre outros. Diversas linhas de pesquisa sobre o tema. Abaixo estão listados uma série de achados sobre o tema:

  • Os estudos com gêmeos e famílias tem fornecido evidências de que há uma transmissão genética da vulnerabilidade à ST. A taxa de concordância para a ST entre gêmeos monozigóticos é maior que 50%, enquanto que, para os dizigóticos, é cerca de 10%.
  • Os resultados dos estudos que tentam estabelecer uma relação entre eventos perinatais (relacionados ao parto e nascimento) adversos e a ST são conflitantes. Dois estudos não conseguiram verificar essa associação, enquanto outros encontraram 1,5 vezes mais complicações durante a gestação de mães de crianças com tiques quando comparadas a controles normais.
  • Os tiques apresentam piora diante de eventos estressantes, não necessariamente desagradáveis. Há associação entre o conteúdo dos tiques, seu início e os eventos marcantes na vida das crianças portadoras de ST. Assim, não se devem negligenciar os fatores psicológicos no curso do transtorno.



  • Um grupo de pesquisadores encontrou, em estudos com Ressonância Magnética Cerebral, diferenças estruturais nos gânglios da base e no corpo caloso de portadores da ST. Estudos com Tomografias de emissão (PET e SPECT) revelam, em geral, hipometabolismo e hipoperfusão em regiões do córtex frontal e temporal, no cíngulo estriado e tálamo. Tais achados sugerem alterações no circuito córtico-estriado-talâmico.
  • Os estudos sobre um possível substrato neuroquímico na ST são também conflitantes. A principal hipótese estudada envolve uma hiperatividade dopaminérgica, visto que os neurolépticos, antagonistas da dopamina, geralmente promovem uma grande redução dos tiques. Na mesma linha de raciocínio, os estimulantes como o metilfenidato, a cocaína, a pemolina e a L-dopa causam exacerbação dos tiques.
  • A elevada incidência de ST e tiques no sexo masculino levanta a hipótese de que estejam relacionados à exposição do Sistema Nervoso Central a altos níveis de testosterona e/ou outros hormônios masculinos. Há relatos de casos que envolvem esteróides androgênicos na exacerbação de sintomas da ST entre fisiculturistas que abusam destas substâncias. Há um relato de flutuações dos tiques na ST relacionadas ao ciclo menstrual, com exacerbação na fase pré-menstrual.
  • A presença de anormalidades no Eletroencefalograma (EEG) de pacientes com ST é controvertida. Os achados são insignificantes, não se justificando o uso do EEG na investigação rotineira da ST. As anormalidades encontradas são inespecíficas e não há evidências de atividade paroxística diretamente relacionada aos tiques.
  • Alguns autores sugerem a possibilidade de que tiques, alguns transtornos do movimento, sintomas obsessivo-compulsivos e hiperatividade, possam estar relacionados à presença de anticorpos antineurais (contra o cérebro) decorrentes de infecções estreptocócicas. De fato, algumas pessoas começam a apresentar ou pioram de seus tiques depois de terem infecções de garganta. Entretanto, ainda não é rotina tratar os tiques com antibióticos, seja de forma curativa, seja de forma profilática.


Como são tratados os Tiques e a Síndrome de Tourette?

O tratamento da ST consiste em duas abordagens associadas: o tratamento psicossocial e o farmacológico. Antes de inicia-lo, deve-se fazer uma avaliação dos tiques quanto à localização, freqüência, intensidade, complexidade, e interferência na vida diária. O ambiente escolar, familiar, os relacionamentos, os fenômenos associados devem ser investigados e analisados. Faz-se necessário um julgamento criterioso quanto à necessidade de medicação. Até o presente momento, não há tratamento curativo, sendo o medicamento útil no alívio dos sintomas. A filosofia do tratamento é conservadora para evitar a medicação desnecessária, utilizando-a sempre nas menores doses possíveis. Apenas 60% dos portadores requerem medicação supressiva de tiques. O tratamento psicológico inclui orientação aos pais e familiares, àqueles que convivem com a criança, como seus educadores. É importante fornecer informações a respeito da doença, suas características e o modo de lidar com o doente. Deve-se cuidar para que ocorra o mínimo de estigmatização. Evitar atitudes superprotetoras que favoreçam a manipulação da doença por parte da criança.


Quando necessário deve-se indicar psicoterapia. Há relatos de casos tratados com psicoterapia comportamental, embora, em geral, tenha valor limitado. A psicoterapia dirigida ao insight tem sua importância na medida em que estabelece conexões entre os sintomas e os conflitos psíquicos subjacentes, facilitando o seu entendimento e manejo.
Uma técnica dentro da Terapia Comportamental, chamada Reversão de Hábito, tem sido utilizada com sucesso no controle dos tiques. A técnica consiste basicamente em aprender a perceber quando os tiques vão ocorrer para então tentar suprimi-los ou modifica-los. Por exemplo, um tique desagradável e que cause embaraço como acenar para pessoas desconhecidas, pode ir sendo modelado, com esforço e treino, para um comportamento mais aceitável ou imperceptível como passar a mão no cabelo ou no corpo.

Quer conhecer melhor a síndrome, assista ao filme O PRIMEIRO DA SALA.

EXPRESSÃO DE CEARENSE

A cada dia uma expressão típica de cearense. A de hoje é...



PAIA
O mesmo que brega ou o mais popular peba.

DESCUBRA VOCÊ


 

Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.
 
Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.
 
Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.
 
Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.
 
Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.
 
Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.
 
Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus.
 
Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.
 
Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.
 
O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende só de mim.
 
Sorria. Mas não se esconda atrás deste sorriso. Mostre aquilo que você é. Sem medo. Existem pessoas que sonham.
 
Viva. Tente. Felicidade é o resultado dessa tentativa.
 
Ame acima de tudo. Ame a tudo e a todos. Deles depende a felicidade completa. Procure o que há de bom em tudo e em todos. Não faça dos defeitos uma distância e, sim uma aproximação.
 
Aceite. A vida, as pessoas. Faça delas a sua razão de viver. Entenda os que pensam diferentemente de você. Não os reprove. Olhe à sua volta, quantos amigos... Você já tornou alguém feliz? Ou fez alguém sofrer com o seu egoísmo? Não corra... Para que tanta pressa? Corra apenas para dentro de você.
 
Sonhe, mas não transforme esse sonho em fuga.
 
Acredite! Espere! Sempre deve haver uma esperança. Sempre brilhará uma estrela.
 
Chore! Lute!
 
Faça aquilo que você gosta. Sinta o que há dentro de você.
 
Ouça... Escute o que as pessoas têm a lhe dizer. É importante. Faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo...
 
Mas não se esqueça daqueles que não conseguiram subir a escada da vida. Descubra aquilo de bom dentro de você. Procure acima de tudo ser gente.
 
Eu também vou tentar.
 
 
 Autor: Charles Chaplin

ESPANHOLA


REFLEXÃO


BOM DIA!

Há pouco, ouvia uma bela canção do cantor Lobão, "Me chama", e alguns detalhes me chamaram atenção.
Primeiro, observei o título da canção, que mostra um erro gravíssimo de colocação pronominal, ou seja, uma próclise em vez de uma ênclise.
Depois, no trecho "Aonde está você?Me telefona..." , observei que além de um novo deslize quanto à colocação pronominal, empregou o "aonde" em vez de "onde" (advérbio interrogativo que determina lugar).
Observação: Seria "aonde" se o verbo regente indicasse movimento e pedisse a preposição "a", que se juntaria ao termo "onde", tornando-o "aonde".
Ex. "Aonde você vai?" Quem vai, vai A um lugar (ONDE) = AONDE

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

A CORDA


Esta é a história de um alpinista que sempre buscava superar mais e mais desafios. Ele resolveu depois de muitos anos de preparação, escalar uma montanha que nunca tinha sido conquistada pelo homem. Mas ele queria a glória somente para ele, e resolveu escalar sozinho sem nenhum companheiro, o que seria natural no caso de uma escalada dessa dificuldade.
Ele começou a subir e foi ficando cada vez mais tarde, porém ele não havia se preparado para acampar, resolveu seguir a escalada decidido a atingir o topo. Escureceu, e a noite caiu como um breu nas alturas da montanha, e não era possível mais enxergar um palmo à frente do nariz, não se via absolutamente nada. Tudo era escuridão, zero de visibilidade, não havia lua, e as estrelas estavam cobertas pelas nuvens.
Subindo por uma parede e a apenas 100m do topo ele escorregou e caiu.... caia a uma velocidade vertiginosa, somente conseguia ver as manchas que passavam cada vez mais rápidas na mesma escuridão, e sentia a terrível sensação de ser sugado pela força da gravidade.
Ele continuava caindo ... e nesses angustiantes momentos, passaram por sua mente todos os momentos felizes e tristes que ele já havia vivido em sua vida ... de repente ele sentiu um puxão forte que quase o partiu pela metade . . . Shack! Como todo alpinista experimentado, havia cravado estacas de segurança com grampos a uma corda comprida que fixou em sua cintura.
Nesses momentos de silêncio, suspenso pelos ares na completa escuridão, não sobrou para ele nada além do que gritar:
Ó MEU DEUS ME AJUDE ! ! !
De repente uma voz grave e profunda vinda do céu respondeu:
QUE VOCÊ QUER DE MIM MEU FILHO?
Me salve meu Deus por favor! ! !
VOCÊ REALMENTE ACREDITA QUE EU POSSA TE SALVAR ?
Eu tenho certeza meu Deus! ! !
ENTÃO CORTE A CORDA QUE TE MANTÉM PENDURADO . . .
Houve um momento de silêncio e reflexão. O homem se agarrou mais ainda à corda e refletiu que se fizesse isso morreria...
Conta o pessoal de resgate que no outro dia encontrou a um alpinista congelado... morto... agarrado com força... com as suas duas mãos a uma corda...
A TÃO SOMENTE DOIS METROS DO CHÃO...
E VOCÊ? Está segurando firmemente sua corda?
POR QUE VOCÊ NÃO A SOLTA?

CONHEÇA A IRLANDA


PENSAMENTO DO DIA

"Quando a casa do vizinho está pegando fogo, a minha casa está em perigo."
Horácio

EXPRESSÃO DE CEARENSE

A cada dia uma expressão típica de cearense. A de hoje é...



PINTOSO
Cearense não acha homem bonito. No máximo admite que o cara é pintoso, ou que tenha uma certa pinta (boa aparência).

DICA DE PORTUGUÊS


TODO AZUL DO MAR


CURIOSIDADES SOBRE NOMES DE RUAS E AVENIDAS DE DE FORTALEZA



Pereira Filgueiras, Pedro I e Bárbara de Alencar são alguns nomes de personalidades que nomeiam as ruas e avenidas de Fortaleza. Muitas vezes desconhecidas pelos moradores, a homenagem mantém viva a história da Capital e do Estado. 

Com certeza você já passou pela rua Ana Bilhar, no bairro Meirelles, ou , pelo menos, já ouviu falar na rua do Rosário, no Centro da Capital e nunca se deu conta da relevância que esses nomes têm e da riqueza dos detalhes que contribuíram para a formação de Fortaleza. 

Confira a história por trás de dez nomes de ruas e avenidas em Fortaleza:

Rua Dr. João Moreira 

João da Rocha Moreira nasceu em Fortaleza foi nomeado chefe do serviço sanitário da Santa Casa de Misericórdia. Dotado de grande espírito filantrópico, sempre exerceu a medicina em favor dos mais humildes. Foi inspetor da Saúde Pública, inspetor de Higiene, inspetor da Saúde do Porto, médico da Cadeia Pública, professor de inglês e francês no Liceu do Ceará. Faleceu em 1919. A rua do Centro, que recebeu seu nome em 1933, fica ao lado da Santa Casa. Antes, era chamada rua Nova da Fortaleza, travessa do Quartel, rua da Misericórdia e rua nº. 17. 

Rua São José 

São José é o padroeiro do Ceará. O culto dos católicos cearenses, no dia 19 de março, vem desde quando Aquiraz era a capital do Ceará e tinha São José como padroeiro. Após a transferência da capital para Fortaleza, o santo passou a ser padroeiro do Estado. O Dia de São José é aguardado no Ceará com muita expectativa, pois reza a tradição popular que se chover neste dia é sinal de que haverá bom inverno (estação chuvosa). Há várias ruas nomeadas de São José em Fortaleza: no Centro, Barra do Ceará, Bom Jardim, Carlito Pamplona, Cais do Porto, Castelão, Jangurussu, Jardim Cearense, Mondubim, Passaré, Quintino Cunha. Há ainda travessas São José nos bairros: Autran Nunes, Edson Queiroz, Henrique Jorge, Monte Castelo, Parque Tabapuã e Pirambu.

Rua Araripe Macêdo

Pintor, desenhista, decorador, João Moreira de Araripe Macedo nasceu em Fortaleza e faleceu no Rio de Janeiro em 1934. Aos 14 anos seguiu para a capital fluminense, onde se matriculou na Escola Nacional de Belas Artes. Em 1899, recebeu uma medalha de ouro e, em 1900, o prêmio de Viagem ao Exterior, com o quadro “A Prece”. Ficou em Paris por três anos e de volta ao Brasil em 1904, recebeu crítica estupenda de Gonzaga Duque, pela obra "A Porangaba", quadro inspirado em poema do cearense Juvenal Galeno. Atuou como desenhista no Ministério do Trabalho, em 1922. A rua que leva seu nome passa pelos bairros Jockey Clube e João XXIII. 

Avenida Lineu Machado 

Nascido em São Paulo, Linneo de Paula Machado era um grande incentivador do turfe brasileiro. Foi responsável por convencer o então presidente da República, Venceslau Brás, a sancionar a lei que regula a atividade, auxilia os criadores e estabelece a responsabilidade da Comissão Central dos Criadores de Cavalo Puro Sangue. Morreu em 28 de setembro de 1942 durante um desastre aéreo entre Rio e São Paulo. A avenida passa pelos bairros Jockey Clube, João XXIII e Bonsucesso. 

Avenida Antônio Justa 

Médico humanitário sanitarista, Antônio Alfredo da Justa foi o primeiro diretor clínico do Leprosário de Canafístula (atual Centro de Convivência Antônio Diogo), em Redenção (CE), e ganhou notoriedade pela atenção dedicada, no começo do século XX, aos doentes de hanseníase, a “moléstia de Lázaro”, sendo chamado de “o pai dos Lázaros do Ceará”. Escreveu dezenas de artigos em defesa dos leprosos isolados na Colônia. Ao falecer, vítima de ataque de angina, deixou todos os seus bens para a Colônia de São Bento, depois Colônia Antônio Justa (hoje Hospital de Dermatologia Sanitária Antônio Justa), em Maracanaú, na RMF. A avenida fica entre os bairros Meireles e Varjota. 

Rua Pedro I

Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon, filho de Dom João VI de Portugal e Carlota Joaquina de Bourbon, chegou ao Brasil ainda criança com a família, depois que seu país foi invadido pelas tropas francesas de Napoleão. Com o retorno do pai a Portugal anos mais tarde, permanece no Brasil como príncipe regente. A insatisfação crescente contra o regime colonial, faz com que a corte portuguesa exija seu retorno, mas D. Pedro resolve ficar no Brasil, instaurando o "Dia do Fico", em 09 de janeiro de 1822. Em 7 de setembro do mesmo ano, proclama a independência brasileira da corte portuguesa. Três meses depois é coroado o primeiro imperador do Brasil, outorgando a primeira Constituição Brasileira em 1824. Retorna a Lisboa após a morte de Dom João, para assumir o trono, tornando-se D. Pedro IV. Morre aos 36 anos de tuberculose. A rua fica Centro.

Rua do Rosário 

A rua do Centro tem sua denominação constituída em referência à igreja Nossa Senhora do Rosário, situada na Praça General Tibúrcio, também conhecida como Praça dos Leões. Erguida inicialmente como capela pela comunidade negra, por volta de 1730, é a igreja mais antiga da cidade, tombada pelo Estado em 1983. Entre os anos de 1821 e 1854 foi a principal igreja da capital da província do Ceará. 

Rua Ana Bilhar 

A professora cratense Ana Lopes de Alcântara Bilhar, fundou com sua irmã o tradicional Colégio Nossa Sra. de Lourdes, com internato e externato feminino. Instalado inicialmente em Baturité, em 1889, foi reaberto mais tarde em Fortaleza, em 1896, primeiramente em um prédio na rua 24 de Maio, e depois do atual Colégio Militar, em 1898, na avenida Santos Dumont. As alunas de Ana eram apelidadas de "periquitinhos verdes", por só trajarem fardas de cor verde. A rua corta os bairros Varjota e Meireles.

Rua Silva Jatahy 

João Carlos da Silva Jatahy (1842-1930) foi um dos liderantes no episódio do fechamento do Porto de Fortaleza ao embarque e desembarque de escravos, em janeiro de 1881, que teve à frente o jangadeiro Francisco José do Nascimento, também conhecido como Chico da Matilde, o Dragão do Mar. O Ceará tornava-se então o primeiro estado a abolir a escravidão no Brasil. Silva Jatahy figura na galeria dos libertadores históricos como um dos mais destemidos legionários abolicionistas. A rua fica no bairro Meireles.

Bárbara de Alencar 


A líder revolucionária Bárbara Pereira de Alencar participou de movimentos em prol da independência do Brasil contra a política absolutista de Dom Pedro I, como a Revolução Pernambucana (1817). Casou-se aos 22 anos e teve 4 filhos; entre os quais os também revolucionários Tristão Gonçalves e José Martiniano de Alencar, pai do escritor José de Alencar. Durante a Revolução Pernambucana foi mantida presa em uma das celas da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, sendo considerada a primeira prisioneira política do País. A rua que leva seu nome atravessa os bairros Centro e Aldeota.

FONTE: JORNAL DIÁRIO DO NORDESTE

REFLITA SOBRE O VÍDEO


GERUNDIANDO A VIDA

por Carlos Delano Rebouças

A principal característica do gerúndio é que ele indica uma ação contínua, que está, esteve ou estará em andamento, ou seja, um processo verbal não finalizado.
Muitas vezes nos conduzimos assim – quase sempre com projetos inacabados – seja no âmbito pessoal, seja no profissional, e que podem ser temporários ou definitivos, dependendo muito da atitude dos envolvidos.
A terminação “NDO” é a mais fácil identificação de um termo no gerúndio, independentemente da conjugação verbal. Realizando, querendo ou agindo são exemplos clássicos e pertinentes para exemplificar a forma nominal dos verbos em questão, sobretudo, quando passa a agregar bem mais características de substantivos, adjetivos e advérbios, com a perda de seus traços de verbo, por não flexionar quanto ao tempo e modo.
Gerundiar na vida parece esquisito, tanto quanto entender o processo de formação de palavras. Neste caso, a derivação imprópria, quando houve a transformação de um substantivo em um verbo, numa mudança de classe gramatical, que, semanticamente, em nada interfere no sentido deste texto que trata de transformações na vida.
Na vida, o ato de gerundiá-la, de estendê-la, de vê-la, continuamente, nas suas ações é muito mais que somente um prolongamento. Na verdade, trata-se do ganho de um tempo, que o gerúndio sente a orfandade.  E que de modo algum pode garantir um final feliz e esperado.

REFLEXÃO


DOCUMENTÁRIO SOBRE MACHADO DE ASSIS


A DERROCADA DE UM SOBERBO


Autor: Carlos Delano Rebouças

Mariano era assim: ostentava, ostentava e ostentava! Aliás, acreditava que o mundo girava em sua função, que tinha o comando de tudo e de todos. Gritava; “Eu sou o cara”!

Ostentava, acreditava e gritava... Verbos no passado que significam uma situação que ficou para trás. E ficou mesmo, de verdade.

Mariano, um jovem rapaz do subúrbio carioca, nasceu em uma família humilde e lutadora. Sua mãe, Dona Inácia, uma costureira batalhadora que passou parte de sua vida sentada à sua máquina de costura, na sua pequena sala de estar, na sua lida diária para ajudar na manutenção de sua família ao lado do seu esposo José. Quantas vezes não fez suas rápidas refeições ali mesmo, em meio a linhas e tecidos, temendo engolir, na pressa que a consumia, uma agulha perdida!

Já o pai de Mariano, o Seu José, ralava, diuturnamente, como motorista de ônibus nas linhas da cidade. Saía antes mesmo do raiar do sol e chegava depois no florescer de um novo dia.

Como Mariano tinha pais guerreiros! Não podia ser diferente para quem tinha a responsabilidade de garantir o seu sustento e de seus outros sete irmãos.

Mariano e seus irmãos cresceram vendo seus pais nessa lida diária. Alguns deles, os dois mais velhos, diziam: “Um dia tiraremos o pai do assento daquele ônibus e mãe daquela máquina”. Era o reconhecimento de todo o esforço feito  para garantia de suas subsistências. Porém, de Mariano não se ouvia frases que tivessem o mesmo valor de reconhecimento, muito pelo contrário. O “Soberbo”, como passara a ser conhecido cresceu dizendo que um dia sairia daquela vida desgraçada e que deixaria tudo e todos para trás, como se pusesse a culpa em seus pais pela difícil vida que tinham.

E foi isso que aconteceu. O “Soberbo” cresceu e tornou-se um homem. Não quis estudar como seus irmãos, por acreditar que não o levaria a lugar nenhum, seguindo sua vida pelos caminhos tortuosos do crime. Envolveu-se, primeiramente, com pequenos furtos; depois, com grandes assaltos; e por último, com o tráfico e fraude de cartões. Passou a ser visto como o poderoso da comunidade em que nascera.

Seus outros sete irmãos, pela graça Divina, não seguiram esse mesmo caminho. Dois deles são professores da rede municipal; outros dois, comerciários; e os três mais jovens, estudantes e estagiários na Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Segundo palavras do Professor Mailson, irmão mais velho de Mariano, seu pai não aguentaria ver o caminho escolhido pelo seu irmão, pois cresceram sabendo que somente pelo trabalho honesto e digno seria possível vencer e ser feliz na vida.

Pena que Mariano nunca pensou dessa forma. Logo depois da morte de seu pai, há seis anos, e com a confirmação de que sua mãe estava como a doença de Alzheimer, o apelido de “Soberbo” ganhou força na comunidade. Na criminalidade conquistou tudo que acreditava preencher as lacunas difíceis de sua infância e parte da juventude: Carros, motos, bebidas, mulheres e farras coletivas. Mariano era o “rei do pedaço” e ninguém duvidava.

Mas um dia tudo mudou. Mariano perdeu o reinado que acreditava ser eterno. Como se diz na gíria: “a casa caiu”. Diante de uma intensa investigação policial que culminou em sua prisão, “Soberbo” começou a ver o seu castelo de sonhos desmoronar, sob os olhares de todos os seus súditos que o reverenciavam num baile que promovia na comunidade. Enquanto saia algemado, pouco a pouco se esvaziava o seu cenário de ilusões. Seguia sozinho sob uma escolta de dezenas de policiais.

Mariano, hoje, não é mais soberbo, mas seu apelido continua na boca de muitos de sua comunidade ao se lembrarem de tudo que fez e promovia para tantos que o endeusavam. Cumprindo pena por vários crimes em Bangu I, Mariano, que hoje está com 26 anos de idade, ainda terá que cumprir 27 anos, dois meses e 29 dias de reclusão, distante do mundo em que tudo o levava a achar que seria seu e de seu comando. Sua soberba parece que se perdeu pelo caminho, sem mais ter a liberdade de demonstrá-la, pois a única plateia que ainda existe é a dos colegas de cela e de seus irmãos que semanalmente vão visitá-lo.
  


terça-feira, 15 de novembro de 2016

PENSAMENTO DO DIA

"A democracia surgiu quando, devido ao fato de que todos são iguais em certo sentido, acreditou-se que todos fossem absolutamente iguais entre si."
Aristóteles

LINDA CANÇÃO


EXPRESSÃO DE CEARENSE

A cada dia uma expressão típica de cearense. A de hoje é...



JOGAR NO MATO
O mesmo que colocar no lixo. A expressão, certamente, vem do fato do habitante do interior (sertão) realmente jogar o lixo no mato em volta da sua casa ou seja literalmente no mato. Ver Rebolar no mato.

É...


VEJAM O QUE OUVIMOS!

Hoje, perguntei a uma pessoa que nem mesmo conhecia que feriado seria. Fiz essa pergunta marota, não por desconhecer, mas sim para testar o conhecimento do brasileiro sobre as datas comemorativas, embora já tenha convicção do nível das respostas que recebemos.
O tal cidadão respondeu:
- Não sei. Só sei que é feriado e vou me embriagaaaaaaaar!.
Disse:
- Hoje é uma das datas mais importantes na história do nosso País; é a Proclamação da República Federativa do Brasil. Em 15 de novembro de 1889, há 127 anos, o Brasil houve a extinção do império no Brasil, com o banimento da família imperial portuguesa.
O homem, espantado, disse:
- Porra de família! Minha família são meus amigos e minha cachaça.
O que podemos fazer? São essas e outras que costumamos ouvir.

AUGUSTO DOS ANJOS


GERUNDIANDO A VIDA

por Carlos Delano Rebouças

A principal característica do gerúndio é que ele indica uma ação contínua, que está, esteve ou estará em andamento, ou seja, um processo verbal não finalizado.
Muitas vezes nos conduzimos assim – quase sempre com projetos inacabados – seja no âmbito pessoal, seja no profissional, e que podem sem temporários ou definitivos, dependendo muito da atitude dos envolvidos.
A terminação “NDO” é a mais fácil identificação de um termo no gerúndio, independentemente da conjugação verbal. Realizando, querendo ou agindo são exemplos clássicos e pertinentes para exemplificar a forma nominal dos verbos em questão, sobretudo, quando passa a agregar bem mais características de substantivos, adjetivos e advérbios, com a perda de seus traços de verbo, por não flexionar quanto ao tempo e modo.
Gerundiar na vida parece esquisito, tanto quanto entender o processo de formação de palavras. Neste caso, a derivação imprópria, quando houve a transformação de um substantivo em um verbo, numa mudança de classe gramatical, que semanticamente, em nada interfere no sentido deste texto, que trata de transformações na vida.
Na vida, o ato de gerundiar, de estendê-la vê-la continuamente nas suas ações é muito mais que isso. Na verdade trata-se do ganho de um tempo, que o gerúndio sente a orfandade.  E que de modo algum pode garantir um final feliz e esperado.

Clique e confira!

ESTAMOS À DISPOSIÇÃO!