O ANIVERSÁRIO É SEU, MAS O CONVIDADO É QUEM PAGA A CONTA



Certas coisas que acontecem nos dias de hoje são de impressionar qualquer pessoa que tem sensatez e que causam indignação por perceber que vem se tornando uma prática habitual e aceitável na sociedade de hoje.
Comemorar mais um ano de vida faz parte de nossa cultura. Receber parentes e amigos e dividir as alegrias de mais uma “primavera” conquistada, até mesmo que nos dias de hoje, tão violentos e de criminalidade crescente, que não nos permitem fazer qualquer projeção de dias futuros, trata-se de momentos singulares, únicos, merecedores de comemoração.
Antes, as famílias realizavam os aniversários nas dependências de suas casas, quintais e até mesmo, na frente de casa, dividindo o espaço dos vizinhos. A famosa panela de vatapá ou creme de galinha, arroz branco, salada, farofa, bebidas e docinhos, e o bolo com a velinha, às vezes improvisada, configuravam o tradicional cardápio dos aniversários. Festa de arromba para todo mundo sair, como diz aqui no Ceará, de “bucho cheio”. Olha que tudo isso acontecia e ainda acontece, mas com extrema raridade, independente de se levar ou não o presente. O mais importante era a presença de todos.
Nos dias de hoje, a importância não é mais a mesma. Muita coisa mudou e para ser um convidado, precisa está com dinheiro no bolso. Muita gente busca comemorar seus aniversários em restaurantes com as mais diversas desculpas, que não convencem aqueles que têm um mínimo de sensatez.
Não podemos negar que, ao contrário de promover uma comemoração nos moldes tradicionais, em restaurantes não se tem trabalho de cuidar da arrumação, limpeza e preparo de alimentos. Pega-se tudo pronto a um determinado preço. Porém, muita gente vem transferindo esse ônus para os convidados, ou seja, faz o convite e o convidado traz o presente e paga pelo seu consumo. Assim é muito fácil comemorar aniversário, postar as fotos no Facebook e compartilhar as alegrias.
Pode até alguém, ao ler este texto, dizer: Que cara mesquinho! Que cara ultrapassado! Que cara miserável! Mas minhas colocações não foram feitas para essas conclusões. Foram, sim, para refletirmos sobre até que ponto caminhará a insensatez das pessoas, principalmente aquelas que desejariam ter nascidas com asas, para jamais por os pés no chão. Pessoas que se sentem poderosas e que promovem esses tipos de eventos para posar de anfitriões, sem ao menos serem.
Não sou antiquado. Acredito que se não se pode oferecer uma festa como um autêntico anfitrião, que não faça. Se alguém vier com a afirmativa que faz ou fez sob a pressão de
amigos e familiares, aprenda a dizer um sonoro “não”, pois saiba que não demora muito, às muitas vezes, antes mesmo do término da festa, para os críticos entrarem em ação a falar de tudo e de todos. Muitos daqueles que deram um forte abraço no aniversariante e a falsa batidinha nas costas, seguido de parabéns.

Comentários

  1. Adorei ... Assino embaixo , quer fazer bonito que pague a festa.

    ResponderExcluir
  2. Queria tirar essa dúvida. Ajudou bastante. 😉

    ResponderExcluir
  3. Eu sempre pensei assim, e já me senti desconfortável com esse tipo de convite, mas infelizmente hj a realidade é outra e o custo para se fazer qualquer coisa com o mínimo de decência é muito alto. Sem contar que pra comer e beber de graça aparece gente até do inferno, rsrs. Então como nem da pra arcar com tudo sozinho, e nem por isso vai se passar k resto da vida sem comemorar aniversário por exemplo, melhor se adaptar à nova realidade, repensar certas coisas e buscar o equilíbrio...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

LISTA DE EMPRESAS LIGADAS À PETROBRAS E AO PORTO DO PECÉM-CE